segunda-feira, 29 de junho de 2015

Embaralhados



Amor é isso
Procurar no não o sim
no sim o jura
na jura a suplica
na suplica o amor

O amor é isso
Esperar do não um sim
se não for não um talvez
se for talvez quem sabe?
se sabe bem, o bem olhar

O amor é isso
abrir mão do não pro sim
que talvez seja assim 
quem sabe? 
no olhar a suplica 
e do amor saudade

O amor é isso
juntar no não o sim
e assim quem sabe
talvez,  olhar o amor
sem saudade

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Alguns Anjos Por Aí




"Há uma disposição natural em todos nós: a de nos apercebermos muito menos dos nosso defeitos do que dos alheios."
(O Evangelho Segundo o Espiritismo)

Eu nasci católica, e sim,  de certa forma ainda sou. Não frequento a igreja há tempos, mas tenho sim um grande amor pelos católicos e por boa parte da doutrina. Uma Missa bem feita é capaz de tocar meu coração tão fundo que me faz chorar. Contudo outras doutrinas me foram apresentadas durante a minha vida. E hoje posso dizer que sou espírita.
Há uns dois anos me foi apresentado O Livro dos Espíritos do Allan Kardec. O livro é à base da doutrina espírita e nele são respondidas perguntas fundamentais a respeito da vida, do motivo de estarmos aqui, o que somos e porque somos. Eu gostei muito do livro, mas não ao ponto de me interessar a ir a um Centro ou conhecer melhor a religião.

"Todos os homens, a partir da infância, fazem muito mais mal do que bem."
(O Evangelho Segundo o Espiritismo)

Após este livro li O Evangelho Segundo o Espiritismo, também de Allan Kardec, que encheu meu coração de amor e respeito. Este é um livro pelo qual sou completamente apaixonada. Ele é com certeza um dos livros mais bonitos que já li e passou a ser o meu livro de cabeceira.  Mas ainda assim não foi ele que me levou a procurar conhecer melhor o espiritismo.
Acontece que no fim do ano passado eu comecei a ter uns sonhos muito estranhos, na verdade muito medonhos, e não tinha a ver com o tipo de sonho provocado pelo meu transtorno do pesadelo (outra hora falo sobre isso). Então um amigo me convidou para conhecer o Centro dele e eu fui.
Eu amei o lugar, amei o jeito como fui tratada, amei o cuidado que as pessoas que ali estavam tiveram comigo. Porém não voltei, era muito longe e muito tarde para que eu frequentasse. Os sonhos continuaram e eu percebi o quanto era estranho as sensações que experimentava em decorrência disso. Então decidi ir a um Centro próximo a minha casa para conversar com um médium. Conheci uma irmã muito querida que depois de um tempo me disse exatamente o que estava acontecendo comigo. Foi um susto e um alívio.  Me livrei do obsessor e continuei no Centro.

"Há sabedoria em não acreditares que sabes o que ignoras."
(O Evangelho Segundo o Espiritismo)

Lá eles pedem para você ler 3 livros, dois eu já tinha lido, e faltava um, O Espiritismo Aplicado do Eliseu Rigonatti.  Mas eu percebi o quão superficial eu fui em minhas leituras. Porque apesar de ter entendido as coisas que constavam nos livros eu não os tinha estudado. Tinha ignorado meus novos questionamentos, tinha deixado pra lá por causa de coisa alguma. Então decidi ler novamente, procurando entender de maneira mais palpável tudo que ali consta. E é por isso que a partir da semana que vem eu vou começar a colocar meus pontos de vista a respeito das minhas vivências espirituais na busca de conhecimento aqui no  Em meu lugar.  
A quem interessar uma discussão (não bate boca) a respeito disso eu to a disposição. Eu amo conhecer pontos de vista. Amo debater.  Minha intenção não é converter ninguém, nem passar minhas ideologias ou crenças. Apenas usar um espaço que é meu para me auxiliar nos meus estudos.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Sonhalidade



"Tenho fases, como a Lua; fases de ser sozinha, fases de ser só sua."
(Cecília Meireles)



Estava ali, parada mais uma vez em frente ao espelho olhando meu rosto cansado de mais uma noite que passei conversando com ele. Era tanta afinidade e tanta coisa pra falar um pro outro que era impossível ir para cama e dormir. A ansiedade não permitia. A felicidade não permitia. A vontade não permitia. Eu tinha que ficar ali, conversando até meu corpo não aguentar mais e se desligar sozinho em meio a uma palavra.
Na verdade é bem simples, o amo tanto que dormir me parece absurdo se ele está acordado. É assim agora, é assim até hoje. É assim e será para toda reticência... Habilidade que só o Henrique tem, além claro do seu alter ego que não convém dizer o nome. Se bem que eles são tão misturados que as vezes até confunde. Mais uma das surpresas que só ele tem.
Eu lavando o rosto cansado e extremamente feliz, de uma noite de músicas, filmes, declarações, piadas, risadas, amor. Passei ela toda acordada, mas é difícil dormir quando a realidade é melhor que o sonho. E ele era a minha realidade e ele é meu sonho. 
Tentei ajeitar o cabelo de um jeito que melhorasse minimamente a minha cara de travesseiro, passei 1 litro de corretivo da marca mais cara que tinha no armário, mas no fim sai com óculos escuros e sorriso no rosto. 
A minha dificuldade em me manter acordada e me concentrar nas inúmeras reuniões chatas do dia, os litros de café que faziam da minha urina escura, era ofuscada pela minha vontade de ir para casa e ficar com ele. E ia. Chegava, tomava um banho, comia alguma coisa e dormia uns poucos minutos para compensar toda a noite de sonho não dormida. E então vinha o "Boo" e pronto. Eu mais uma vez vivendo da realidade um sonho.

Obs.: Texto do projeto "Ali", para ver os demais textos e/ou continuação do diário/historia clique aqui!

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Soneto da LuAmar



Então vem a lua, cheia de mim as vezes
ou cheia de ti sempre
ou cheia de luz como a aurora
ou cheia de saudade como agora

Sobre aquele mar que sempre se acalma
entre um muro de tijolos furados
no meio do que foi guardado 
naquele sorriso do ser amado

Assim, como num suspiro 
tocada pelo brilho dos apaixonados 
ela procura na palavra auxílio

renovando os pequenos sonhos criados
encontra o céu que cumprimenta a alma
e cresce no olhar que adora e acalma.