terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Minhas Razões

Vou desativar o Caderno de Sarah, então por um tempo vcs vão ficar de saco cheio de ler poeminhas, porque vou passar tudim pra ca... ;)




Minhas Razões
Gosto de ti não só pelo que tu és, mas pelo que sou quando estou contigo.
Gosto de ti não só pelo que fizeste de ti mas pelo que estás fazendo de mim.
Gosto de ti pela parte de mim que estás fazendo nascer.
Gosto de ti porque colocas tuas mãos em meu coração e ficas acima de todas as fraquesas que de nada adiantaria ver, trazendo à luz as belas e fulgurantes coisas que de ninguem mais conseguiu descobrir.
Gosto de ti por ignorares as tolices que eu tenho, colocando em evidência as virtudes que eu possa trazer em mim.
Gosto de ti porque fechas o ouvido às ofensas a meu respeito, mas escutas com tanto carinho os louvores que alguem me faz.
Gosto de ti porque me estás ajudando a construir com as tabuas de minha vida, não um casino mas um templo, e dos sons de minha existência não uma blasfemia mas uma canção de amor.
Gosto de ti porque fizese mais do que qualquer crença poderia ter feito para me fazer feliz. Fizeste tudo isso sem uma palavra, sem um gesto, sem um olhar; tudo conseguiste sendo o que tu és.
Isso, talvez,resuma o verdadeiro significado da palavra
amizade.
 

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Perdendo Dentes

Nunca imaginei o que quero da minha vida tão claramente quanto nos últimos dias, e nunca passei por tantos desentendimentos, brigas, DRs, confusões, ilusões e distorções... 
Eu começo a pensar que as pessoas tem tanto medo da felicidade que acabam por joga-la fora. Eu sou assim, e vivo nesse pecado de não fechar portas, de não acertar as coisas, de continuar sendo responsável por coisas que não sou responsável. É a lastima do meu viver... rs
Engraçado isso, mas nos últimos tempos fazer rir passou a ser algo triste e começo a pensar se eu deveria deixar a tristeza entrar e me fazer companhia uns dias. Dizem que aprendemos com ela né? É melhor do que a incerteza de estar escolhendo o certo, é melhor que a tensão de falar, do medo de ouvir, a sensação de não saber... É foda, quando a gente quer gritar e não pode, ficamos com um sorriso no rosto tão forçado que até um muro percebe que estamos mentindo, tentando arrumar maneiras de continuar normalmente com as nossas vidas, com as brincadeiras com os amigos que não param de repetir que estou com algum problema. É, posso estar, mas ninguém pode fazer nada. Ou talvez ninguém possa, mas não quer. Ou não sabe...

E eu sempre aprendendo com as minhas turbulências e meu silêncio incontido no nada.